Produtividade nos EUA cresce no 1º tri com redução da jornada

Rendimento aumenta 2,2%, enquanto horas trabalhadas caem 1,8%; maior queda desde o começo de 2003

Reuters,

07 de maio de 2008 | 09h44

As empresas norte-americanas reduziram as horas de trabalho dos funcionários nos primeiros três meses do ano com a desaceleração da economia, aumentando a produtividade em 2,2% segundo taxa anualizada, mostrou nesta quarta-feira, 7, um relatório do governo. O Departamento de Trabalho informou que as horas trabalhadas caíram 1,8% no trimestre, maior queda desde o começo de 2003.   Veja Também:   Cronologia da crise financeira  Entenda a crise nos Estados Unidos    Economistas ouvidos pela Reuters esperavam que a produtividade fora do setor agrícola, ou a produção por hora de cada trabalhador, crescesse 1,5% em taxa anualizada. O custo unitário de trabalho, medida de inflação e pressões sobre o lucro que é monitorada de perto pelo Federal Reserve, subiu 2,2% de acordo com taxa anualizada, menos do que os 2,5% esperados por analistas. Em relação ao mesmo período do ano passado, o aumento foi de apenas 0,2%, o menor avanço desde 2004, o que pode dar algum alívio nas preocupações com inflação.

Tudo o que sabemos sobre:
Crise dos EUAProdutividade

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.