Produtores argentinos discutem locaute

Os produtores rurais da Argentina continuarão a discussão hoje sobre o locaute que pretendem realizar a partir do dia 5 de março. Um dia depois da ruptura do diálogo com o governo, os representantes dos homens do campo passaram o dia de ontem reunidos e darão continuidade às consultas informais, nesta sexta-feira, sobre a articulação do protesto. As quatro entidades mais importantes do setor, Confederações Rurais (CRA), Coniagro, Sociedade Rural (SRA) e Federação Agrária (FAA), já estão praticamente decididas a realizar somente dois dias de locaute na comercialização de grãos. Só falta decidir, segundo a Federação Agrária, a data correta porque na primeira semana de março serão realizadas duas importantes feiras do setor: Expochacra (6 a 9 de março) e Feriagro (13 a 16 de março).Alguns diretores mais otimistas das entidades acreditam que o governo chegará a um acordo com o setor antes do protesto ser executado. Para tanto, esperam que o próprio presidente Eduardo Duhalde interceda junto ao ministro de Economia, Roberto Lavagna, que converteu-se numa verdadeira pedra no caminho do campo. O ministro da Produção, Aníbal Fernández, é sensível às reclamações do setor. Porém, o ministro de Economia tem sido irredutível em relação às duas principais reivindicações das entidades: ajustes dos balanços pela inflação para o pagamento do Imposto de Renda e a restituição do IVA para a venda de grãos de 10,5% para 21% para neutralizar o crédito fiscal. A próxima reunião formal do setor será na próxima terça-feira, ocasião em que pretendem fechar a proposta do locaute.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.