Produtores criam empresa para ordenar venda de café

Quatro cooperativas de Minas Gerais e São Paulo se uniram para criar uma empresa com objetivo de ordenar a comercialização de café. Batizada de Global Coffee Company, a nova empresa terá potencial para vender até quatro milhões de sacas anualmente.O deputado Carlos Melles (PFL-MG), que presidirá o conselho diretor, o embaixador Jório Dauster, que presidirá a empresa, estiveram nesta terça-feira com o ministro da Agricultura Roberto Rodrigues para apresentar o planoestratégico de negócios da Global Coffee. Com capacidade de armazenamento de 2,5 milhões de sacas e podendo oferecer entre 1,5 milhão e 2 milhões de sacas no mercado externo, a empresa pretende chegar ao patamar das maiores "trades" do mundo, como os grupos Neumann, Volcafé , ED&F Man e Lo uis Dreyfus.O objetivo, segundo Melles, é buscar sócios estratégicos e capitalistas para aumentar a capacidade de oferta do produto. "Entraremos como a terceira empresa do ramo no Brasil", contou Melles, ao apresentar dados de um plano estratégico elaborado pela empresa de consultoria Heading Griffo. O capital inicial da Global Coffee será de R$ 60 milhões, sendo que a metade está garantida pelas cooperativas. Fusões e alianças, ressaltou Melles, serão a solução "para fugir da selvageria do mercado externo". Recentemente, a empresa buscou diálogo com outros países produtores de café arábica, como Colômbia e os produtores da América Central.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.