Produtores de biodiesel temem retaliação espanhola

A escalada do conflito entre Argentina e Espanha pela expropriação dos ativos da Repsol na YPF desencadeou uma represália espanhola: o país poderá deixar de comprar soja e biocombustíveis argentinos, o que já preocupa os produtores nacionais de biodiesel. A ameaça foi confirmada ontem pelo coordenador de Estudos e Programas e porta-voz de Assuntos Exteriores do Partido Popular, José Maria Beneyto, durante entrevista à imprensa local.

O Estado de S.Paulo

19 de abril de 2012 | 03h04

"O governo está avaliando exatamente quais as consequências deste tipo de represálias comerciais e o que podemos fazer", disse ele. Além da eliminação das compras dos dois produtos mencionados, Beneyto afirmou que o governo espanhol está analisando "outra série de medidas".

Os produtores de biodiesel na Argentina estão preocupados com a represália, já que exportaram 1,68 milhões de toneladas de biodiesel em 2011 e metade desse montante foi para a Espanha. Os embarques com destino ao mercado espanhol renderam à Argentina US$ 1 bilhão em divisas no ano passado. Desde 2008, com investimentos em torno de US$ 700 milhões, a indústria aumentou sua produção em 240% em função da demanda europeia, que absorve 90% das exportações argentinas. / MARINA GUIMARÃES

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.