coluna

Louise Barsi: O Jeito Waze de investir - está na hora de recalcular a sua rota

Produtores de frango temem barreiras na Europa

As exportações brasileiras de frango para a Europa poderão ser sobretaxadas em 75%, para atender a pressão dos produtores europeus que temem a concorrência do produto do Brasil, segundo informou o diretor-executivo da Associação Brasileira dos Produtores e Exportadores de Frangos (Abef), Cláudio Martins. A intenção de aumentar a tarifa do imposto de importação sobre o frango brasileiro de 15,4% para 75%, foi comunicada à direção da Abef e ao ministro da Agricultura, Marcus Vinícius Pratini de Moraes, pelo diretor de Agricultura da UE, Silva Rodrigues, na semana passada, em reunião realizada em Bruxelas.Na acasião, Silva Rodrigues informou ter enviado um projeto a todos os países membros do bloco europeu para que estes se manifestassem sobre o aumento da tarifa para 75% até esta sexta-feira. As exportações brasileiras de frango no ano passado totalizaram US$ 1,3 bilhão, sendo que 30% desse valor foram exportados para os países europeus. "Nós temos mantido nossa meta de crescer 10% ao ano. E isso está começando a gerar represálias para boicotar o frango brasileiro no mercado externo", afirmou Martins. Claudio Martins observou que surgiram vários boatos de que a Alemanha teria retido um lote de exportação de frango brasileiro porque o produto continha antibiótico da família dos nitrofuranos, proibido pela União Européia. O Ministério da Agricultura não recebeu nenhuma notificação sobre o assunto, segundo o secretário de Defesa Agropecuária, Luiz Carlos de Oliveira, e tampouco o setor privado, conforme Martins. Esses mesmos rumores ocorreram em abril passado, quando a agência de sanidade alimentar do Reino Unido, informou - sem comunicar oficialmente ao governo do Brasil - que o Departamento de Agricultura da Irlanda do Norte havia encontrado resíduos de nitrofurano, em niveis muito baixos, em amostras de frango brasileiro. Na ocasião, o Ministério da Agricultura do Brasil questionou a metodologia usada para análise das amostras e pediu para fazer um outra análise em território brasileiro, uma vez que usa metodologia aprovada pela União Européia. A realização do teste não foi autorizada. No dia 6 de maio, o Ministério da Agricultura proibiu a utilização em todo o território nacional do antibióticos do grupo de nitrofuranos, na forma de medicamento, em animais para consumo humano. Entre os produtos pertencentes a esse grupo de medicamentos já estavam proibidos, desde 10 de setembro de 1998, o nitrofurazona e a furazolidona. A proibição geral desse tipo de medicamento já levou em conta a importância do mercado europeu e possíveis represálias que poderiam ocorrer devido ao crescimento das vendas brasileiras de frango em países europeus.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.