Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Produtores de soja reúnem-se com governo para discutir embargo

A iniciativa privada foi convocada para uma reunião amanhã, às 14h30, no Ministério da Agricultura, para discutir o embargo da China à soja brasileira. A idéia do governo é reunir representantes de produtores, cooperativas, indústrias e exportadores para discutir o impasse na comercialização de soja brasileira para o mercado chinês, informou na tarde de hoje o presidente da Associação Nacional dos Exportadores de Cereais (Anec), Sérgio Mendes.Nesta semana, a China incluiu mais 15 empresas em sua "lista negra", o que elevou para 23 o total de empresas proibidas de vender soja brasileira para o país. Na prática, o Brasil não pode vender soja para a China. Isso porque, entre essas empresas, estão 4 que respondem por cerca de 90% das exportações brasileiras de soja. A China é o maior mercado para a soja brasileira. De um total de 20 milhões de toneladas exportadas pelo País por ano, a China compra 20%. A princípio, a discussão será com técnicos do governo, mas não é descartada a possibilidade do ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, coordenar a reunião. A idéia é elaborar, no encontro de amanhã, um documento com argumentos técnicos que possibilitem ao governo brasileiro pedir o fim do embargo imposto pelos chineses. O documento deve ser remetido pelo ministro ao Palácio do Planalto.Com o relatório em mãos, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva faria um contato por telefone com autoridades do governo chinês, comentou fonte do ministério. Ontem, o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Óleos Vegetais (Abiove), Carlo Lovatelli, deixou claro que era preciso uma intervenção política para resolver o impasse.

Agencia Estado,

16 de junho de 2004 | 16h48

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.