Produtores fecham rodovia em SP e simulam enterro de Lula

Produtores rurais do oeste paulista estavam concentrados, por volta das 10h30 desta quarta-feira, no quilômetro 545 da Rodovia Raposo Tavares, proximidades de Taciba, na região de Presidente Prudente, para simular o "enterro" do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O ato faz parte do protesto contra a política econômica e agrícola do governo - o chamado "Grito do Ipiranga" - que chega ao Estado de São Paulo. Os ativistas também prometem bloquear por uma hora, a partir das 11 horas, o trânsito na Raposo, principal ligação da região com o Mato Grosso do Sul. Dezenas de produtores vestem roupas pretas e trazem cordas amarradas no pescoço. Um boneco representando o presidente foi colocado num caixão e, no final da manifestação, será "cremado". Os produtores querem a renegociação da dívida, garantia de preços mínimos e a criação de um seguro para a produção. Segundo o presidente da União Democrática Ruralista (UDR), Luiz Antonio Nabhan Garcia, o governo Lula levou a agricultura à "pior crise da história" e pode faltar alimento em 2007, por falta de condições de plantio da safra. "Simplesmente o governo ignora esta crise que, ao que tudo indica, contribui para sua campanha eleitoreira de comida barata para o pobre", disse. Nabhan, que também é agricultor, conta que colheu soja a um custo de R$ 25 a saca de 60 quilos, mas vendeu a R$ 14. O arroz custou R$ 17 e foi vendido a R$ 9, ao passo que o milho custou R$ 15, mas foi comercializado por R$ 6,50.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.