Produtores rurais argentinos anunciam nova paralisação

Os produtores rurais da Argentina anunciaram nesta quinta-feira uma paralisação no comércio agrícola de quatro dias, a partir de sexta-feira, para protestar contra a política governamental, pouco depois de o governo convocar uma reunião para ouvir suas reclamações. A convocação para a paralisação do comércio de grãos e gado foi anunciada pelos produtores desses setores, que sofrem com uma forte seca que já reduziu a safra e provocou as mortes de centenas de animais. Associações rurais pedem há meses uma queda das taxas e ajuda para os produtores prejudicados pelo clima seco e pela queda dos preços internacionais, mas o governo não atendeu aos pedidos. "A partir de amanhã (sexta-feira), às 12h, até terça-feira, às 12h, interromperemos a comercialização de produtos agropecuários (...)", afirmou Mário Llambías, presidente das Confederações Rurais Argentinas (CRA), uma das quatro entidades em disputa com o governo. "Nos provocaram, fomos deixados de lado e fomos de alguma forma agredidos, e acreditamos representar fielmente a opinião dos homens do campo com essas medidas", completou. A paralisação vai acabar duas horas antes do horário previsto para a reunião convocada pela ministra de Produção, Débora Giorgi, para discutir a política oficial do setor. As entidades confirmaram que participarão da reunião. O setor, em disputa com o governo desde os ferozes protestos de quatro meses realizados em 2008, pede uma redução dos impostos sobre as exportações de grãos, medida rechaçada pelo governo sob o argumento de que afetará a arrecadação fiscal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.