Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Produtos agrícolas aliviam e IGP-DI sobe 0,75%

A menor pressão dos preços dosprodutos agrícolas e a redução da tarifa de energia elétricaresidencial garantiram a desaceleração do Índice Geral dePreços-Disponibilidade Interna (IGP-DI) em outubro, mostraramdados divulgados nesta quarta-feira pela Fundação GetúlioVargas (FGV). O indicador de inflação subiu 0,75 por cento no mêspassado, depois de ter avançado 1,17 por cento em setembro. A desaceleração foi mais forte do que o estimado pelomercado. Analistas consultados pela Reuters previam alta de0,83 por cento para o índice em outubro, segundo a mediana de18 estimativas. Os prognósticos oscilaram de 0,70 a 1,0 porcento de alta. [ID:nN07399483] Entre os componentes do IGP-DI, o Índice de Preços porAtacado (IPA) avançou 1,02 por cento, ante ganho de 1,64 porcento em setembro. Os preços dos produtos agrícolas no atacadosubiram 2,73 por cento, ante alta de 5,27 por cento emsetembro. O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) subiu 0,13 porcento, frente a alta de 0,23 por cento no mês anterior. "Amaior contribuição para a desaceleração do IPC partiu do grupoHabitação, que teve como destaque os itens taxa de água eesgoto residencial (+0,66 por cento) e tarifa de eletricidaderesidencial (-1,80 por cento)", informou a FGV em comunicado. O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) teve altade 0,51 por cento, mesmo patamar de setembro. No ano, o IGP-DI acumula alta de 5,22 por cento. Nosúltimos 12 meses, o índice subiu 6,10 por cento. (Por Renato Andrade)

REUTERS

07 de novembro de 2007 | 08h44

Tudo o que sabemos sobre:
MACROIGPDIATUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.