Produtos básicos são destaque na pauta de exportações de janeiro

O aumento nas vendas deste tipo de produto foi impulsionado pelo minério de ferro, óleos brutos de petróleo e café cru em grão

Eduardo Rodrigues, da Agência Estado,

24 de janeiro de 2011 | 16h09

O total de US$ 4,272 bilhões em mercadorias exportadas na terceira semana de janeiro, com média diária de US$ 854,4 milhões, representou um aumento de 28,2% em relação à média diária de US$ 666,4 milhões em embarques acumulada até a segunda semana do mês.

De acordo com dados divulgados  pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), o aumento nas vendas de produtos básicos foi de 62,1% nessa comparação, por conta principalmente de minério de ferro, óleos brutos de petróleo, café cru em grão, farelo de soja, carne bovina congelada, milho em grãos e minério de cobre. As exportações de manufaturados cresceram 18,2%, em razão de maiores embarques de açúcar refinado, autopeças, aviões, máquinas e aparelhos para terraplenagem e suco de laranja não congelado.

Já as vendas de bens intermediários caíram 25,9% na terceira semana do mês, com declínio principalmente em produtos semimanufaturados de ferro ou aço, celulose, ferro-ligas, ferro fundido bruto e óleo de soja em bruto. Do lado das importações, com US$ 3,592 bilhões em compras entre os dias 17 e 23, foi registrado aumento de 8% sobre a média das duas semanas anteriores, sobretudo em função de combustíveis e lubrificantes, químicos orgânicos e inorgânicos, além de farmacêuticos.

Análise mensal

A média diária das exportações nas três primeiras semanas de janeiro, de US$ 729,1 milhões, representaram um crescimento de 29% em relação à média de janeiro do ano passado. O aumento das vendas de básicos foi de 65,5%, por conta de minérios de ferro, óleo bruto de petróleo, café cru em grão, carne de frango congelada, farelo de soja, milho em grãos e carne bovina congelada.

Os embarques de bens intermediários aumentaram 32,4%, em razão de celulose, produtos semimanufaturados de ferro ou aço, ferro-ligas, ferro fundido, couros e peles, e óleo de soja em bruto. Já as exportações de manufaturados cresceram apenas 2,4%, principalmente em autopeças, produtos laminados planos de ferro ou aço, suco de laranja congelado, polímeros de etileno, propileno e estireno, suco de laranja não congelado, e máquinas e aparelhos de terraplenagem.

Em relação a janeiro de 2010, as importações cresceram 19%. Aumentaram os gastos, principalmente, com leite e derivados (+134,7%), adubos e fertilizantes (+96,2%), alumínio e suas obras (+76,1%), peixes e crustáceos (+42,2%), algodão (+37,6%), aeronaves e peças (+36,9%) e equipamentos mecânicos (+35,0%).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.