Produtos de luxo trazem assinatura de grifes internacionais

Companhia investe nadiferenciação de seusempreendimentos dealto padrão em parceriacom estúdios de design

Patricia Büll / Especial para o Estado, O Estado de S.Paulo

09 Junho 2016 | 05h42

A mudança de cenário na economia do País fez a Cyrela Brazil Realty se posicionar de forma mais competitiva, mirando a geração de caixa por intermédio da diferenciação de seus produtos, afirma o CFO da companhia, Eric Alencar. Como exemplo ele cita os lançamentos de produtos de luxo em parceria com designers internacionais.

“Vamos construir empreendimentos inesquecíveis”, diz Alencar, que destaca a assinatura de “grifes icônicas” e compara os projetos a obras de arte.

Nessa categoria, segundo ele, está o residencial One Sixty, em parceria com o estúdio londrino Yoo, de Philippe Starck e John Hitchcox. “A dimensão dos espaços e a proporção dos ambientes quebram os limites verticais e horizontais já vistos”, afirma. “Uma amostra é a sala do apartamento com 6 metros de pé direito.”

Nessa mesma linha, Alencar inclui o Cyrela by Pininfaria, em em parceria com o escritório italiano de design. O projeto apresenta fachada inspirada em curvas e formas que transmitem movimento. “Desde seu lançamento, em agosto de 2014, já vendeu 70% das unidades”, diz.

Inovação. A Cyrela, segundo Alencar, adota a estratégia de lançar produtos diferenciados, com foco na assertividade e na inovação.

Ele aponta o Cyrela Atmosfera como outro importante lançamento, realizado em setembro de 2015. “Tem hoje 80% de suas unidades comercializadas, o equivalente a um VGV de R$ 146 milhões”, declara.

Localizado no Bosque da Saúde, na capital, o empreendimento de torre única oferece opções de planta de 98m² a 165m², com três e quatro dormitórios, em um terreno de 3.389m². As unidades de 163m² e 165m² têm hall privativo. Oferece opções de lazer como piscinas coberta e descoberta, brinquedoteca e espaço fitness.

Mais um ponto da estratégia, da companhia, adotada em 2015, foi a flexibilização das condições de financiamento direto aos clientes, estimulando novas oportunidades de negócio. Alencar cita mudanças na política de crédito, que envolvem ampliação do valor máximo financiado (de 75% para até 80%) e extensão do prazo de pagamento (de 180 para 240 meses). “São as melhores condições já oferecidas pela empresa”, garante.

As modificações ajudaram a companhia a alcançar lucro de R$ 448 milhões, embora seja um recuo de 32,3% sobre 2014. Mais uma vez, o vilão foram os distratos, que ampliaram em R$ 21 milhões as provisões.

“Nosso resultado anual, com lucro líquido de R$ 448 milhões, 32,3% inferior ao de 2014, foi afetado pelo menor nível de receita líquida”, diz Alencar. “Houve fatores positivos como o incremento da margem bruta em 2,5% e melhora do resultado financeiro da companhia, se comparado ao ano anterior.”

Desafio, Na sua avaliação, o cenário de 2015 foi mais desafiador do que em 2014. “Ainda assim, encerramos o ano passado com 37 novos empreendimentos, que tiveram boa velocidade de vendas, de 52%, e atingiram volume de R$ 2,9 bilhões”, afirma ele, comparando com o número maior de lançamentos em 2014. “Foram 53 empreendimentos, que geraram R$ 5,9 bilhões.”

Apesar do momento difícil, que retarda o tempo de decisão de compra e afeta a confiança dos clientes, Alencar observou bom ritmo de vendas no primeiro trimestre deste ano. “Acreditamos que isso se mantenha nos próximos meses”, prevê.

Ele cita o Le Premier, na cidade de São Paulo, ainda sem lançamento oficial, mas com 19% das unidades já vendidas. Lançados em novembro passado, o Living Magic, em Osasco, e o DEZ Zona Norte, no Rio de Janeiro, estão com 21% e 94%, respectivamente, das suas unidades comercializadas. / P.B.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.