Professor diz que alta do dólar é especulação

O professor de Finanças da Fundação Getúlio Vargas (FGV) José Cezar Castanhar atribui à especulação dos investidores que aplicam no mercado futuro de câmbio a alta de 5,8% do dólar nesta segunda-feira. "80% disso é pura especulação por causa da liquidação dos contratos na BM&F", afirmou.Ele considerou como "ridícula" o argumento de que a disparada da moeda norte-americana teria sido causada pelas declarações do secretário do Tesouro americano Paul O´Neill, que se disse contrário a um novo acordo do FMI com o País. "Quem diz isso não tem a menor noção de economia. É de um ridículo atroz."Para o professor, qualquer cotação do dólar acima de R$ 2,50 atualmente já seria absurda porque não estaria respaldada por razões macroeconômicas. Com a cotação superior a R$ 3,00, afirma, o PIB em valores absolutos cai para cerca de US$ 400 bilhões."O PIB do México, que vem caindo há dois anos consecutivos, já é 50% maior do que o nosso, o que demonstra que o câmbio aqui está inteiramente descolado de qualquer consistência técnica. É um estrago que vem sendo feito por três ou quatro grandes financeiras que compram dólar e especulam, perdendo um pouco no mercado à vista para ganhar muito mais no futuro", disse.Ele sugere que o Banco Central seja mais severo e, além de intervir injetando reservas no mercado, com a chamada "ração diária", adote medidas gerenciais semelhantes à do ano passado, como a exigência de capital para que bancos comerciais operassem com o mercado futuro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.