Profetas da crise são estrelas em Davos

Com os mercados globais em seu momento de maior nervosismo em muitos anos, o Fórum Econômico Mundial será aberto hoje em Davos, na Suíça, com um debate econômico que reúne os dois principais profetas de crises e tempos difíceis na economia mundial: os economistas Nouriel Roubini, que hoje comanda um dos portais econômico-financeiros mais prestigiados do mundo, e Stephen Roach, presidente para a Ásia do banco de investimentos americano Morgan Stanley. Até domingo, quando se encerra o Fórum, a recessão nos EUA e os riscos para a economia global devem dominar as atenções em Davos, que contará este ano com a presença de várias autoridades econômicas e financeiras do mundo, como o presidente do Banco Central Europeu (BCE), Jean-Claude Trichet, o diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn, e o presidente do Banco Mundial, Robert Zoellick.No debate inicial sobre a conjuntura econômica global, Roubini deve se sentir vingado. Há um ano, no mesmo painel de abertura de Davos, ele ficou isolado ao prever, no momento em que se começava a falar em problemas no mercado hipotecário americano ?subprime?, que os Estados Unidos entrariam em recessão, afetando toda a economia global. Roubini se contrapôs a visões bem mais otimistas de economistas de altíssima reputação como Laura Tyson, da Universidade de Berkeley, e ex-conselheira da Casa Branca, e Jacob Frenkel, vice-presidente do grupo segurador AIG. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.