Profissional se forma na área depois de cumprir dois anos de especialização Tabu Geriatria

Antes da especialização em geriatria, que tem dois anos de duração, os médicos recém-formados cumprem dois anos de residência em clínica médica, diz o professor da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Eduardo Canteiro Cruz.

CRIS OLIVETTE, O CADERNO SOBRE EDUCAÇÃO UNIVERSITÁRIA CIRCULA TODA ÚLTIMA TERÇA DO MÊS (LEIA O PRÓXIMO NO DIA 27/11), CRIS OLIVETTE, O CADERNO SOBRE EDUCAÇÃO UNIVERSITÁRIA CIRCULA TODA ÚLTIMA TERÇA DO MÊS (LEIA O PRÓXIMO NO DIA 27/11), O Estado de S.Paulo

25 de novembro de 2012 | 02h14

Segundo ele, a especialização em geriatria forma o médico para atender pacientes idosos. "O envelhecimento é um processo muito heterogêneo. Aos 80 anos, temos pacientes que correm maratona, sem nenhuma doença crônica, e outros gravemente enfermos."

O médico geriatra deve estar apto, diz ele, a identificar as peculiaridades de cada paciente e a intervir sobre elas. Cruz afirma que os geriatras usam a avaliação geriátrica ampla, para identificar a capacidade funcional dos pacientes. Esses médicos avaliam a capacidade dos idosos de realizar atividades diárias como cuidar da higiene, fazer compras, e também se tem autonomia para tomar decisões sobre a própria vida. "Esses são os pilares fundamentais da abordagem do geriatra."

O professor diz que o campo de ação dos profissionais é muito amplo. "Na residência da especialização, reproduzimos todos os ambientes de trabalho, por isso eles passam pelo ambulatório, unidade hospitalar, atendimento domiciliar e em casas de repouso, por serem os cenários onde poderão atuar após formados."

Cruz afirma que o mercado de trabalho deveria estar aquecido, mas ainda existe dificuldade de se reconhecer a importância do geriatra. "A especialidade é recente e existem tabus até por parte do paciente, que acha que esse médico atua apenas no fim da vida dos pacientes."

Segundo Cruz, para envelhecer bem é preciso ter boa reserva funcional, como se fosse uma poupança, já que o envelhecimento é um processo de declínio físico e mental. "O momento ideal para procurar um geriatra seria entre os 50 e 60 anos, que é quando o indivíduo está no pico de suas reservas, para fazer um planejamento voltado à sua velhice", conclui.

Salário (40 horas semanais)

R$ 9 mil

Duração (especialização)

4 semestres

Disciplinas

Fisiologia do envelhecimento e promoção à saúde, cardiogeriatria, neuropsiquiatria geriátrica, dor e doenças osteoarticulares

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.