Fabio Motta/Estadão
Fabio Motta/Estadão

Programa de demissão voluntária da Petrobrás tem adesão de 11,7 mil empregados

Empregados aderiram ao Programa de Incentivo ao Desligamento Voluntário (PIDV) de 2016, o que representa um custo de aproximadamente R$ 4 bilhões para a empresa

Reuters

02 Setembro 2016 | 10h06

SÃO PAULO - A Petrobrás informou nesta sexta-feira que 11.704 empregados aderiram ao Programa de Incentivo ao Desligamento Voluntário (PIDV) de 2016, o que representa um custo de aproximadamente R$ 4 bilhões para a empresa.

Mas o programa também trará ganhos nos próximos anos, uma vez que o PIDV integra medidas para reduzir gastos em meio ao elevado endividamento da estatal. Num cenário de 12 mil inscritos, a companhia projetou economia de R$ 33 bilhões até 2020.

A Petrobrás disse que já havia provisionado R$ 1,2 bilhão até 30 de junho para os gastos previstos com 4.087 funcionários que tinham aderido ao programa - o montante pesou nos lucros do segundo trimestre, que caiu 30% ante o mesmo período de 2015.

Segundo a estatal, o número de adesões ao programa ainda pode ser alterado, em função de inscrições realizadas em papel e postadas até 31 de agosto.

A empresa disse ainda que, até a data de homologação da rescisão, os empregados podem desistir da adesão. O cronograma de desligamentos foi iniciado em 16 de junho e, até o momento, 2.450 empregados tiveram seus contratos de trabalho encerrados.

A Petrobrás ressaltou que, como parte do programa, implementou diversas iniciativas com foco no desenvolvimento de lideranças e na gestão do conhecimento e do efetivo, para dar continuidade aos processos e garantir a segurança operacional das unidades.

Mais conteúdo sobre:
SÃO PAULO Petrobrás

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.