Programa de milhagem da Varig será honrado pela VarigLog

O programa de milhagem Smiles da Varig será honrado pela ex-subsidiária de logística e transporte de cargas VarigLog - que arrematou a companhia aérea por US$ 500 milhões de reais, em leilão realizado nesta quinta-feira no Rio. O programa de milhagem possui 6 milhões de usuários e passagens a serem honradas no valor de R$ 70 milhões. A VarigLog também vai assumir o passivo de R$ 245 milhões referente a passagens que já foram vendidas, mas não foram usadas.Contudo, os trajetos onde essas milhas poderão ser usadas ainda é uma dúvida. Isso porque a nova empresa formada a partir da venda da Varig para a VarigLog terá 30 dias após a homologação da operação, que deve acontecer ainda hoje, para comprovar que tem condições de manter todas as suas linhas. Caso contrário os slots (horários e espaços para pouso e decolagem nos aeroportos) serão redistribuídos para outras companhias. Ou seja, ainda não se sabe quais serão as linhas mantidas pela nova empresa.O presidente da Agência Nacional de aviação Civil (Anac), Milton Zuanazzi, explicou que, nos últimos meses, a companhia aérea deixou de operar várias rotas, que foram atendidas por outras empresas em um plano de contingência preparado pela Anac. Disse ainda que a autorização do órgão para a nova companhia que será criada para incorporar os ativos da Varig dependerá do cumprimento dos pré-requisitos exigidos pela agência.Nova VarigHoje a Varig conta apenas com 16 aviões em atividade e opera somente 20% dos vôos de sua malha original. São apenas 14 cidades no Brasil, o que fez a participação de mercado da empresa despencar para 4,9% na primeira quinzena de julho. A malha internacional, que já incluiu todos os continentes, hoje se resume a Frankfurt, Londres, Miami e Nova York. Com tão poucos vôos - e com a falta de dinheiro para oferecer de castanhas a bebidas -, até a Sala VIP no aeroporto de Guarulhos foi desativada.A VarigLog quer iniciar a primeira etapa de reestruturação da Varig com até 2 mil funcionários e 13 aviões, o que vai custar a demissão de cerca de 8 mil pessoas. Situação bem diferente do fim do ano passado, quando havia quase 12 mil empregados e em torno de 80 aviões. Em até 180 dias após a oficialização da compra, a VarigLog planeja ter até 80 aviões, o que indica a possibilidade de recontratação dos empregados que serão dispensados.O leilão Após meses de indefinições, a Variglog arrematou a Varig por US$ 500 milhões, em um leilão que apenas formalizou a proposta, uma vez que apenas esta companhia estava qualificada. O preço mínimo de US$ 24 milhões já foi cumprido pela empresa. Na verdade, US$ 20 milhões já haviam sido antecipados para que a companhia aérea continuasse operando até a data do leilão.A VarigLog também apresentou uma carta de fiança bancária de US$ 75 milhões. A proposta inclui ainda mais um aporte de US$ 485 milhões. Deste aporte, US$ 354 milhões serão destinados a investimentos na nova Varig e o restante para a Varig antiga reduzir débitos de credores. O total da proposta, portanto, é um pouco superior a US$ 500 milhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.