Programa integra grandes marcas
Conteúdo Patrocinado

Programa integra grandes marcas

Stix já conta com mais de 1 milhão de cadastros em 90 dias e quer ampliar ainda mais o número de parcerias comerciais

Stix, Media Lab Estadão
Conteúdo de responsabilidade do anunciante

08 de fevereiro de 2021 | 09h09

Grandes marcas reunidas em uma plataforma de pontos e recompensas, com pontos acumulados pelos clientes em uma carteira única – e podendo ser trocados por produtos e vale-compras em qualquer um dos parceiros.

 A proposta inovadora no mercado de fidelidade foi apresentada pela Stix e vem conquistando consumidores de todo o País – já são mais de 1,2 milhão de cadastros apenas nos primeiros 90 dias. A plataforma, desenvolvida em conjunto por GPA e RaiaDrogasil, está aberta para novos varejistas afiliados, com uma grande expansão do ecossistema prevista para os próximos meses. Atualmente, os clientes Pão de Açúcar, Droga Raia, Extra e Drogasil já juntam pontos stix em suas compras. E os pontos iupp do Itaú também podem ser transferidos para a Stix, acelerando a troca por recompensas.

 Para os varejistas participantes, é uma oportunidade única para conquistar novos clientes oriundos das demais grandes marcas do ecossistema da Stix, ao mesmo tempo em que mantém o protagonismo de suas próprias plataformas de relacionamento.

 “A Stix é a primeira plataforma que junta em um só lugar os programas de fidelidade de varejistas por meio de uma moeda única, o ponto stix. Essa é a inteligência da solução”, explica Alexandre Rodrigues, diretor comercial e marketing da Stix. “Cada varejista mantém a autonomia de seu programa, mas adota a moeda. É isso que, para o consumidor final, conecta todos.”

 Para acelerar os planos de expansão, beneficiando a todos – consumidores, parceiros já integrados e novos afiliados –, a ideia, de acordo com Rodrigues, é integrar à plataforma segmentos de varejo importantes no dia a dia do consumidor. “Deveremos trazer as áreas de pet center, vestuário, material de construção e combustíveis, entre outras”, explica.

 “Ao se juntar e adotar o ponto stix como sua moeda de relacionamento, o varejista estará fazendo parte de um ecossistema concebido para que o ponto seja trocado de verdade. O foco é recompensar a fidelidade do consumidor”, ressalta, explicando que os pontos têm uma data fixa de expiração – anual, em todo mês de setembro – e valor definido na troca: 100 stix valem pelo menos R$ 1. Tem mais: integrando-se ao leque de grandes marcas, o varejista que aderir terá mais exposição – na divulgação e nos pontos de venda dos parceiros. “E, com a possibilidade de trocar os pontos stix em qualquer dos afiliados, naturalmente virão muito mais clientes, proporcionando a eles algo realmente único, com as pessoas juntando mais stix. Isso faz com que cada marca gere negócio e clientes para as demais.”

Exclusividade no segmento e logística de operação

Os varejistas interessados em se integrar não precisam se preocupar com as questões da operação. A Stix cuida de toda a plataforma tecnológica e garante exclusividade no segmento, a partir do momento da adesão, sendo vetada a entrada de concorrentes.

 Há, também, autonomia para o varejista preservar seu próprio programa de relacionamento. “Ele escolhe que alavancas de comportamento quer movimentar junto aos seus clientes. A única regra é: a moeda tem que ser o ponto stix, pois é isso que reúne todos os parceiros na Stix”, aponta Rodrigues.

 A Stix apoia novos parceiros na parte de negócios – entendendo os programas existentes dos novos parceiros e colaborando no desenho do modelo de concessão de pontos para que se junte ao ecossistema. Na área financeira, é prestada toda a assessoria para que fique claro como funcionam os programas, quanto ele investe e tem de retorno em resgate, tíquete médio etc. Por fim, a área de tecnologia cuida da infraestrutura de integração das plataformas.

 “Em três a quatro meses após a adesão, o novo parceiro Stix passa a poder oferecer o programa a seus clientes”, finaliza Rodrigues.


 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.