Progressos em discussões sobre investimentos em infra-estrutura

O diretor de relações externas do Fundo Monetário Internacional (FMI), Thomas Dawson, disse ontem que as discussões realizadas nesta semana em Brasília entre o governo brasileiro e representantes do Fundo para a mudança de regras que permitam investimentos em infra-estrutura sem impacto fiscal mostraram progressos. "O trabalho com o Brasil é parte de uma discussão com alguns países, particularmente na América Latina, que será avaliado pelo conselho (do FMI) neste outono (no hemisfério Norte), e eu acho que estamos obtendo progresso nesse sentido, mas nada além disso", disse Dawson, durante a sua entrevista coletiva à imprensa semanal na sede do FMI, em WashingtonEle disse que o tema que é de grande interesse principalmente para a América Latina, mas também para outras regiões. Segundo Dawson, os países-membros do FMI querem saber o que pode ser feito. "O meu entendimento, obtido com a Teresa Ter-Minassian (representante do Fundo que negociou o assunto em Brasília), é que houve boas discussões com o Brasil." Segundo ele, no caso específico do Brasil, trata-se de um caso em que o assunto já é avaliado há algum tempo. "O presidente Lula, em particular, pediu para que avaliemos o que pode ser feito, e nós estamos examinando isso, mas num contexto mais abrangente também."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.