Projeção da CNI para PIB em 2009 sobe para crescimento zero

Segundo a entidade, a revisão se deve à elevação do indicador registrada no segundo trimestre

Renata Veríssimo, da Agência Estado,

30 de setembro de 2009 | 11h47

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgou nesta quarta-feira, 30, uma revisão de suas previsões para os indiciadores econômicos para 2009. A entidade espera um crescimento zero da economia neste ano. A previsão significa uma melhora em relação à projeção anterior, divulgação em junho, que era - 0,4%.

 

Segundo a CNI, a revisão se deve ao crescimento do PIB no segundo trimestre, frente trimestre anterior, puxado principalmente pela expansão do consumo das famílias. Além disso, a CNI considerou, para fazer a revisão, o fato de os investimentos terem interrompido o movimento de queda que vinha sendo registrando por dois trimestres consecutivos.

 

Apesar da melhora na previsão para a economia brasileira, a CNI piorou sua projeção para o PIB industrial em 2009, que deve recuar 4%. A projeção anterior era de queda de 3,5%. Por outro lado, a confederação melhorou de 0,7% para 2,4% a sua previsão para o aumento do consumo das famílias.

 

A entidade espera, no entanto, que a Formação Bruto de Capital Fixo (FBCF) caia 12,8% neste ano, ante uma previsão anterior de queda de 9%. A expectativa da CNI é de que a taxa de desemprego em 2009 fique em 8,1% da População Economicamente Ativa (PEA). A projeção anterior era de 9%.

 

A CNI manteve em 4,2% a projeção de inflação pelo IPCA em 2009 e em 10,15% a estimativa de taxa média nominal de juros neste ano. Para o fim do ano, a CNI também manteve a expectativa de que a taxa nominal de juros esteja em 8,75%. Também para a taxa real de juros, manteve a projeção de 5%.

Tudo o que sabemos sobre:
PIB2009CNI

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.