Projeção de reajuste da telefonia fixa em 2010 cai de 1,6% para 0,8%

Para a energia elétrica, também houve recuo na projeção de 2010, embora mais discreto: de 3,7% para 3,6%

Fernando Nakagawa e Fabio Graner, da Agência Estado,

28 de outubro de 2010 | 10h06

A projeção do Comitê de Política Monetária (Copom) para o reajuste de tarifas de telefonia fixa em 2010 recuou de 1,6% para 0,8%. Para a energia elétrica também houve recuo na projeção de 2010, embora mais discreto: de 3,7% para 3,6%.

A autoridade monetária também diminuiu sua estimativa para a inflação dos preços administrados em 2011, que passou de 4,4% para 4,3%. Para 2010, a estimativa desse grupo foi mantida em 3,6% pelo Copom.

IPCA para 2011 segue em torno de 4,5%

A ata também mostra que houve aumento nas projeções de inflação para 2011, tanto no cenário de referência como no de mercado, mas elas ainda seguem em torno de 4,5%, o valor central da meta. Para o terceiro trimestre de 2012, o BC informa que a previsão, em ambos os cenários, também se encontra ao redor da meta.

Para 2010, também em ambos os cenários, as projeções do Copom se elevaram e estão "sensivelmente" acima da meta de 4,5%.

Superávit primário  de  3,3% em 2011 e 2012

O BC trabalha ainda com a perspectiva de que o setor público consolidado deverá produzir a meta de superávit primário - que é a economia para o pagamento de juros da dívida pública - integral equivalente a 3,3% do Produto Interno Bruto (PIB) nos dois primeiros anos do próximo governo, em 2011 e 2012. "Admite-se que o superávit primário retornaria, sem ajustes, ao patamar de 3,3% do PIB em 2011 e em 2012", cita a ata.

Os diretores do BC observam ainda que, para o ano de 2010, há perspectiva de cumprimento da meta de 3,3% para o PIB com a possibilidade de abatimento de até 0,90 ponto por causa dos projetos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), dos quais 0,44 ponto corresponde à conta de restos a pagar de 2009.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.