Projeção do BC para inflação em 2011 e 2010 recua, diz ata

Para 2010, estimativa mantém-se acima do meta; cenário para 2011 também diminuiu e está ‘ao redor’ do valor fixado

Fabio Graner e Fernando Nakagawa, da Agência Estado,

29 de julho de 2010 | 09h45

A projeção oficial do Banco Central para o IPCA em 2011 e 2010 caiu no cenário de referência em relação a junho, mostra a ata da reunião de julho do Comitê de Política Monetária (Copom). De acordo com o documento divulgado nesta quinta-feira, 29, para 2011, a estimativa "reduziu-se em relação ao valor considerado na reunião de junho, mas ainda se encontra acima do valor central da meta".

Para 2010, nesse mesmo cenário, a projeção "reduziu-se em relação ao valor considerado na reunião do Copom de junho, mas se mantém sensivelmente acima do valor central de 4,50% para a meta fixada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN)". No quadro de referência, as projeções para a inflação são feitas levando-se em conta a manutenção da taxa de câmbio em R$ 1,75 e da taxa Selic em 10,25% ao ano em todo o horizonte da estimativa.

No cenário de mercado, que leva em conta as projeções do mercado para o câmbio e Selic no futuro, a projeção para o IPCA em 2011 "também se reduziu e agora se posiciona ao redor do valor central da meta". Para 2010, "a projeção de inflação também se reduziu, e se mantém sensivelmente acima do valor central da meta para a inflação".

Assim como o Relatório de Inflação, a ata também trouxe detalhes sobre as estimativas para a inflação para o início de 2012. Para o primeiro semestre de 2012, "tanto no cenário de referência quanto no de mercado a projeção recuou, posicionando-se no primeiro caso em torno do centro da meta, e, no segundo, abaixo".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.