Projeção do governo para crescimento do PIB cai de 3% para 2% em 2012

Em relação à inflação, estimativa para IPCA foi mantida em 4,7%, enquanto a do IGP-DI passou de 6,19% para 8,17%

Eduardo Cucolo, da Agência Estado,

20 de setembro de 2012 | 16h55

BRASÍLIA - O governo anunciou oficialmente a redução na previsão de crescimento da economia neste ano de 3% para 2%, na revisão bimestral do Orçamento de 2012 divulgada há pouco pelo Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Em relação à inflação, a estimativa para o IPCA foi mantida em 4,7%, enquanto a do IGP-DI passou de 6,19% para 8,17%.

O Ministro da Fazenda, Guido Mantega, já havia adiantado a previsão do PIB na semana passada, segundo publicou o Estado. Mantega chegou a dizer que o segundo semestre seria bem melhor, mas o primeiro puxa a média para baixo. Na ocasião, o ministro disse ainda que, com o conjunto de medidas tomadas pelo governo, o Produto Interno Bruto (PIB) crescerá acima de 4% no próximo ano. "Podemos assegurar que a economia brasileira crescerá acima de 4%. São análises do FMI e de vários analistas. Aliás, já temos tido várias notícias que mostram que o crescimento já está retomando no País", disse.

Selic

A expectativa para a taxa Selic no final do ano caiu de 8% para 7,5%, patamar em que já se encontra desde o final de agosto. A projeção de Selic média no ano caiu de 8,86% para 8,59%.

A estimativa de câmbio médio passou de R$ 1,93 para R$ 1,96. Para a massa salarial real, foi mantida projeção de crescimento de 12,51%. Também ficou estável a expectativa para o preço médio o barril de petróleo (US$ 113,87). A projeção para o PIB nominal passou de R$ 4,483 trilhões para R$ 4,474 trilhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.