Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Projeção do mercado para o IPCA de 2005 cai para 5,74%

As estimativas de mercado para o IPCA de 2005 recuaram levemente, de 5,75% para 5,74%, em pesquisa semanal divulgada hoje pelo Banco Central. Com a queda, o porcentual projetado voltou ao mesmo patamar da pesquisa divulgada há duas semanas. Mesmo com essa oscilação, as previsões de IPCA para 2005 continuam distantes da meta de inflação para o ano, de 5,1%. A pesquisa registrou ao mesmo tempo uma estabilidade em 5,80% das estimativas de IPCA para 2005 das instituições top five no modelo de médio prazo para este ano. Esse porcentual também é superior à meta de 5,1%. Para o mês de janeiro, os participantes da pesquisa mantiveram a aposta de que o IPCA, que será divulgado daqui a pouco, ficará em 0,60%. Para fevereiro, os participantes da pesquisa também não alteraram suas previsões e mantiveram pela segunda semana consecutiva a projeção de 0,65%. As estimativas de reajuste dos preços administrados para este e o próximo ano também não mudaram e prosseguiram em 7% e 6%, respectivamente. CâmbioAs previsões de mercado para a taxa de câmbio no fim do ano recuaram de R$ 2,87 para R$ 2,86. Para o final do corrente mês, as estimativas foram mantidas em R$ 2,65. As estimativas de câmbio para o fim de 2006 não se alteraram e prosseguiram nos mesmos R$ 3,00 da pesquisa anterior.Dívida líquida do setor públicoAs projeções para a dívida líquida do setor público neste ano subiram de 51,40% para 51,50% do Produto Interno Bruto (PIB). A alta ocorreu após nove semanas consecutivas de quedas das projeções e de uma semana de estabilidade. Para 2006,as estimativas de dívida líquida permaneceram estáveis em 49,90% do PIB.Produção IndustrialAs estimativas de mercado para o crescimento da produção industrial neste ano recuaram de 4,65% para 4,64% na pesquisa semanal divulgada pelo BC. Mesmo com este recuo, as previsões de expansão do Produto Interno Bruto (PIB) ficaram estáveis em 3,70% pela terceira semana consecutiva. Para 2006, as expectativas de crescimento da produção industrial ficaram estáveis em 4,50%. As previsões para o aumento do PIB no próximo ano seguiram a mesma tendência de estabilidade e continuaram em 4% pela terceira semana consecutiva.Superávit da balança comercialAs projeções de mercado para o superávit da balança comercial neste ano subiram de US$ 26,49 bilhões para US$ 26,50 bilhões. A mudança entretanto não foi suficiente para alterar as estimativas de superávit em conta corrente do balanço de pagamentos deste ano que continuaram em US$ 3 bilhões pela sétima semana consecutiva. Para 2006, as previsões de superávit da balança comercial prosseguiram nos mesmos US$ 24,18 da pesquisa divulgada na semana passada. As previsões de superávit em conta corrente também não se alteraram e continuaram a apontar para uma possibilidade de resultado em equilíbrio no próximo ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.