Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Projeção oficial do PIB deve ficar entre 0,5% e 1%

A equipe econômica deve anunciar oficialmente, na próxima semana, a redução da projeção de crescimento econômico em 2009 dos atuais 2% para algo entre 0,5% e 1%, segundo informou uma fonte do governo. Na próxima quarta-feira (dia 20), o Ministério do Planejamento tem de divulgar o relatório bimestral de receitas e despesas e a revisão dos parâmetros macroeconômicos para o ano, incluindo a projeção do crescimento da economia.

AE, Agencia Estado

16 de maio de 2009 | 08h10

Ontem, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, já mostrou um discurso menos otimista com o crescimento, ao dizer que o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro deve crescer entre "zero e 2%" este ano. Além do maior pessimismo do ministro, que durante um bom tempo insistiu em crescimento de 4% em 2009, a nova projeção marca uma mudança de atitude: em vez de focar em um número específico, trabalha com um intervalo de estimativa. Isso tende a expor menos o ministro aos erros inerentes às previsões sobre o PIB.

O novo cenário de crescimento a ser divulgado na semana que vem leva em conta uma aceleração da economia no segundo semestre, com o País crescendo a um ritmo de 4% nos três meses finais do ano. Além disso, na equipe econômica já é dada como certa a chamada recessão técnica, que é marcada pela sequência de pelo menos dois trimestres de queda no PIB. As estimativas para o resultado negativo da economia no período de janeiro a março deste ano variam de 1,5% a 3% no próprio governo, o que fará grande diferença no resultado final de 2009. Vale lembrar que o País já entrou este ano com um PIB negativo de 1,5%, o chamado "carry over", deixado pelo péssimo desempenho da atividade econômica no último trimestre de 2008, período mais agudo da crise internacional. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
PIBcriserecessão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.