Projeção para a inflação está acima do centro da meta, destaca ata da reunião do Copom

Estimativa oficial para o IPCA encontra-se "sensivelmente acima do valor central de 4,50%", afirma o BC

Fabio Graner e Fernando Nakagawa, da Agência Estado,

25 de março de 2010 | 09h01

 Apesar de ter mantido o juro básico da economia brasileira em 8,75% na semana passada, o Comitê de Política Monetária (Copom) afirma na ata da reunião, divulgada nesta quinta-feira, 25, que a projeção oficial para o IPCA no cenário de referência "elevou-se em relação ao valor considerado na reunião do Copom de janeiro e se encontra sensivelmente acima do valor central de 4,50% para a meta fixada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN)".

 

No cenário de referência, o BC leva em conta a hipótese de manutenção do câmbio em R$ 1,80 e da Selic em 8,75% em todo o horizonte da projeção. Com essas condições, a expectativa do BC para a inflação em 2011 "se elevou em relação ao valor considerado na reunião de janeiro, e se encontra acima do valor central da meta". Em janeiro, o cenário de referência previa para 2010 e 2011 inflação ao redor da meta de 4,50%.

 

No cenário de mercado, que leva em conta as previsões para o câmbio e juros feitas por analistas, a projeção de inflação para 2010 "se elevou, e também se encontra sensivelmente acima do valor central da meta para a inflação". Para 2011, a expectativa "se elevou, no entanto se posiciona ao redor do valor central da meta".

 

Inflação 'sofreu deterioração nos últimos meses'

 

O Copom admitiu na ata que o cenário prospectivo para a inflação "sofreu certa deterioração nos últimos meses". No parágrafo 20 do documento, os diretores da instituição defendem que "a avaliação de decisões alternativas de política monetária deve se concentrar, necessariamente, na análise do cenário prospectivo para a inflação e nos riscos a ele associados, que a rigor sofreu certa deterioração nos últimos meses".

 

A opção pelo cenário futuro acontece em detrimento da inflação corrente, dizem os diretores. "O Comitê reafirma que movimentos específicos de preços de ativos só são relevantes para a política monetária na medida em que tenham algum impacto sobre a trajetória prospectiva para a inflação", reforça o documento.

 

'Desvios serão prontamente corrigidos'

 

A ata reafirma que o colegiado continua trabalhando para o cumprimento da meta de inflação e defende que "eventuais desvios em relação à trajetória de metas sejam prontamente corrigidos". No trecho 23 do documento, os diretores do Comitê afirmam que "a estratégia adotada pelo Copom visa assegurar que a convergência da inflação para a trajetória de metas observada em 2009 siga sendo registrada em 2010 e 2011". Dessa forma, o grupo mostra que não pode ser descartado o cenário para o ano corrente.

 

A atuação do BC, explica o documento, leva em conta as defasagens do mecanismo de transmissão de mudanças do juro sobre a economia e "é a mais indicada para lidar com a incerteza inerente ao processo de formulação e de implementação da política monetária".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.