bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Projeções de crescimento potencial chegam a 5%

As estimativas do crescimento potencial (não inflacionário e sustentável) da economia brasileira estão em fase de ampliação, na esteira da revisão da série do Produto Interno Bruto (PIB), pelo IBGE, que revelou números maiores, e do grau mais profundo de estabilização que o País tem demonstrado em momentos de turbulências internacionais. Em menos de um ano, as estimativas de muitos economistas saltaram da faixa de 2,5% a 3,5% para a de 4,5% a 5%.Cálculos apresentados na última Carta da Ibre, um documento mensal de análise econômica publicado na ''''Conjuntura Econômica'''', revista da Fundação Getúlio Vargas (FGV), apresentam um cenário central em que o crescimento potencial sai de 4,5% em 2007 para 4,9% em 2015 (com um recuo para 4,1% em 2008).Nesse cenário, a produtividade cresce 0,5% ao ano, um pouco acima da média de 0,36% entre 2002 e 2006, calculada por uma metodologia apresentada na Carta. Num cenário um pouco mais otimista, a produtividade passa a crescer em média 1% ao ano até 2015 (em 2006 o crescimento foi de 1,98%), e o produto potencial sobe gradativamente de 4,5% em 2006 para 5,4% em 2015.Ambos os cenários incluem a hipótese de que os investimentos cresçam 8% ao ano, o que elevaria a taxa de investimentos do atual nível, em torno de 17% do PIB, para aproximadamente 22% em 2015.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.