coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Projeções para economia permanecem estáveis segundo pesquisa do BC

Na segunda semana seguida em que o mercado financeiro entrou em crise, desafiou o Banco Central eforçou o governo a adotar medidas para conter a especulação, o levantamento feito pelo Banco Central junto a 100 instituições financeiras revela que o humordiante das perspectivas da economia não piorou na mesma proporção. As projeções para o IPCA (Índice de Preço ao Consumidor Amplo) deste ano recuaram, na média, de 5,49% para 5,46%, abaixo do teto estabelecido pelogoverno, que é de 5,5%. Para o próximo ano a estimativa continuou estável em 4% enquanto que as previsões para o IPCA em junho aumentaram de 0,40% para 0,41% e as de julho de 0,77% para 0,78%.As projeções de mercado para a taxa de câmbio ao final de 2003 recuaram de R$ 2,64 para R$ 2,62. Para o final deste ano a estimativa é a mesma, ou seja,taxa de câmbio em R$ 2,50, o que indica a expectativa de queda das taxas atuais. Às vésperas de mais uma reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), ante a uma projeção de inflação em queda, o mercado também não mudou com relação à estimativa para a taxa Selic.Ela permanece estável em 17% para o final do ano, o que indica a expectativa de que o BC vá reduzir em 1,5 ponto porcentual a atual taxa de 18,5%. As previsões para a Selic no fim de 2003 também ficaram estáveis nos mesmos 15% ao ano da última pesquisa.A pesquisa feita pelo BC demonstra que a estimativa para o superávit primário do setor público consolidado em 2003 aumentou de 3% do Produto Interno Bruto (PIB) para 3,10%, enquanto que o déficit nominal sem a variação do câmbio do setor público, esperado para 2002 e 2003, também ficaram estáveis em 3,50% do PIB e 3% do PIB. Para este ano, o mercado ainda não assimilou o aumento da meta anunciado para 3,75%, e manteve as estimativas de 3,50% do PIB. Para o crescimento da economia em este ano, a projeção do mercado recuou de 2,27% para 2,20%. As previsões para 2003 continuaram estáveis em 3,50%. Já o superávit esperado para a balança comercial em 2002 aumentou de US$ 4,05 bilhões para US$ 4,27 bilhões, mais próximo da meta de US$ 5 bilhões prevista pelo Ministério do Desenvolvimento. Para o próximo ano a estimativa de superávit comercial permaneceu estável em US$ 5 bilhões. As expectativas para o déficit em conta corrente em 2002 e em 2003 também permaneceram inalteradas em US$ 20,5 bilhões e US$ 20 bilhões, respectivamente Com relação ao investimento direto estrangeiro em 2002, a pesquisa do BC demonstra uma pequena elevação da expectativa do mercado, que passou a projetar um ingresso de recursos da ordem de US$ 17,58 bilhões contra US$ 17,50 bilhões projetados anteriormente. Não houve mudança na expectativa para 2003, que ficou estável nos mesmos US$ 18 bilhões da última pesquisa.

Agencia Estado,

17 de junho de 2002 | 18h59

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.