Projeto no Senado dos EUA limita salários de executivos

A senadora Claire McCaskill (Partido Democrata-Missouri) apresentou nesta sexta-feira um projeto de lei que limita os salários dos executivos de empresas que recebam ajuda financeira do governo federal dos EUA. O projeto prevê que o salário máximo desses executivos, incluindo bônus e opções de ações, não supere o salário do presidente dos EUA, atualmente em US$ 400 mil anuais.O presidente Barack Obama prometeu que os limites aos salários dos executivos serão uma condição para que qualquer empresa receba recursos federais da segunda parcela de US$ 350 bilhões do Programa de Alívio de Ativos Problemáticos (Tarp, na sigla em inglês); a primeira parcela de US$ 350 bilhões foi liberada ainda durante o governo Bush.A assessora de imprensa de McCaskill, Maria Speiser, disse que a senadora não acredita que a promessa de Obama seja suficiente para que as empresas beneficiadas pelo Tarp limitem os pagamentos a seus executivos e que uma lei específica para isso é necessária."Neste momento, elas [as empresas] dependem de nós. E elas nos devem mais do que uma lata de lixo de luxo e um jatinho de US$ 50 milhões", disse McCaskill no plenário do Senado ao apresentar o projeto. Ela se referia ao plano do Citigroup (já abandonado, depois de divulgado pela imprensa) de comprar um novo jato executivo Dassault, de fabricação francesa, por US$ 50 milhões, e ao US$ 1,2 milhão gasto em 2007 pelo então executivo-chefe do Merrill Lynch, John Thain, para redecorar seu escritório (o projeto de decoração incluía uma lata de lixo de US$ 1.400).Da primeira parcela do Tarp, o Citigroup recebeu US$ 45 bilhões, além de garantias federais para US$ 300 bilhões em ativos "podres"; o Bank of America, que adquiriu o Merrill Lynch no ano passado (e demitiu John Thain quando a história da decoração do escritório veio a público), também recebeu US$ 45 bilhões, além de garantias para US$ 118 bilhões em ativos "podres". As informações são da Dow Jones.

RENATO MARTINS, Agencia Estado

30 de janeiro de 2009 | 18h04

Tudo o que sabemos sobre:
criseEUAsalários

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.