Projeto-piloto de Tupi produzirá 14 mil barris

A produção será limitada até dezembro desse ano, quando o gasoduto [br]Caraguatatuba-Taubaté começará a funcionar

Nicola Pamplona / RIO, O Estado de S.Paulo

26 de outubro de 2010 | 00h00

O projeto-piloto de Tupi, no pré-sal da Bacia de Santos, terá sua produção limitada a 14 mil barris por dia até dezembro, quando entra em operações o gasoduto Caraguatatuba-Taubaté. O projeto será inaugurado na quinta-feira, com presença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e será usado pela estatal para garantir maior conhecimento sobre os reservatórios do pré-sal.

A plataforma instalada em Tupi, em Angra dos Reis, tem capacidade para produzir até 100 mil barris de petróleo por dia. Mas estará limitada por falta de capacidade para escoamento do gás natural extraído junto ao petróleo, que será queimado enquanto o gasoduto não estiver em operação. A Agência Nacional do Petróleo (ANP) definiu um teto de queima de gás para projetos desse tipo, em 500 mil metros cúbicos por dia.

Por isso, a Petrobrás deve conectar apenas um poço à plataforma, enquanto finaliza as obras do gasoduto, que vai levar o gás produzido em importantes projetos da Bacia de Santos, como Mexilhão, Uruguá-Tambaú e Tupi, à malha nacional de gasodutos. A tubulação liga a unidade de tratamento de gás de Caraguatatuba ao gasoduto que liga o Rio a São Paulo, na altura de Taubaté, no Vale do Paraíba.

Assim que o duto ficar pronto, a Petrobrás poderá também declarar a comercialidade das reservas de Tupi, etapa contratual na qual a concessionária finaliza o período exploratório e parte para a produção comercial de um campo petrolífero. Segundo o contrato da concessão BM-S-11, onde estão as descobertas de Tupi e Iara, a mudança será feita até 31 de dezembro.

Após a declaração de comercialidade, a empresa poderá também apropriar as reservas em seu balanço. O presidente da estatal, José Sérgio Gabrielli, disse ao Estado na semana passada, porém, que nem todo o volume estimado para Tupi - entre 5 e 8 bilhões de barris - serão apropriados este ano. A Petrobrás tem hoje 14 bilhões de barris em reservas provadas.

Conhecimento A plataforma Cidade de Angra dos Reis substitui, em Tupi, a plataforma Cidade de São Vicente, que foi o primeiro teste na reserva gigante do pré-sal da Bacia de Santos. Com capacidade maior, a nova unidade vai garantir à estatal maior conhecimento sobre como funcionam os reservatórios do pré-sal, como o petróleo flui e se a rocha suporta as mudanças de pressão comuns durante a vida útil de um campo petrolífero.

Na semana passada, a companhia anunciou nova descoberta na concessão de Tupi, ao sul da descoberta original, que reforça as projeções de reservas entre 5 a 8 bilhões de barris. A empresa afirmou que pretende perfurar dois poços exploratórios na concessão antes do fim do prazo contratual, no fim do ano.

Em Iara, descoberta que fica a leste de Tupi, a companhia estima ter encontrado entre 3 e 4 bilhões de barris de petróleo, elevando a projeção do BM-S-11 para até 12 bilhões de barris.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.