Projeto produzirá derivados de petróleo no Rio

A governadora do Rio de Janeiro, Rosinha Matheus, estabeleceu, nesta quinta-feira, decreto que cria um Grupo de Trabalho para Apoio ao Desenvolvimento da Refinaria Petroquímica do estado. O projeto processará 150 mil barris de petróleo pesado (Bacia de Campos) por dia, produzindo derivados de petróleo, tais como propeno, fenóis e paraxileno, e, em menor escala, como o óleo diesel. O Grupo de Trabalho será coordenado pela Secretaria de Energia, Indústria Naval e Petróleo e composto por representantes das secretarias de Receita; Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano; Desenvolvimento Econômico; Ciência, Tecnologia e Inovação; Trabalho e Renda; e Defesa Civil. Também participam integrantes do Gabinete Civil, da Procuradoria Geral do Estado (PGE), Fundação Estadual de Engenharia do Meio Ambiente (FEEMA), Fundação Superintendência Estadual de Rios e Lagos (SERLA) e da Companhia de Desenvolvimento Industrial do Estado do Rio de Janeiro (CODIN). Segundo a governadora, a obra terá investimentos de cerca de R$ 6,5 bilhões e gerará 212 mil empregos diretos e indiretos.ObjetivoRosinha explicou ainda que o objetivo do grupo é apoiar a Petrobras e seus parceiros e agilizar o desenvolvimento da Implantação da Refinaria de Petroquímica em Itaboraí/São Gonçalo. "Também iremos otimizar o programa de implantação de cursos profissionalizantes do governo estadual para qualificar mão-de-obra para a construção e operação do empreendimento." O secretário de Energia, Indústria Naval e Petróleo, Wagner Victer, que coordena o Grupo de Trabalho, afirmou que este também trabalhará para acelerar o processo de novas empresas de segunda e terceira geração, que devem se instalar no entorno do empreendimento. "Com isso, vamos fomentar a implantação de centenas de novas indústrias que poderão gerar outros 200 mil empregos diretos e indiretos", explicou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.