Projeto surgiu em 2001 no MIT

O primeiro Fab Lab surgiu em 2001, num departamento multidisciplinar do MIT. O nome do departamento dava uma vaga pista de seu propósito de trabalhar com dados e objetos: Center for Bits and Atoms (centro para bits e átomos).

O Estado de S.Paulo

21 de outubro de 2013 | 03h14

Hoje, há centenas de "fabs" espalhados no mundo em países como Afeganistão, Austrália, Chile, Peru, França, Gana e Estados Unidos.

Segundo Heloísa Neves, do Fab Lab Brasil, o País tem duas unidades em funcionamento: o Fab Lab SP e o Garagem Fab Lab, ambos na capital paulista. "Para o próximo ano, teremos possivelmente mais três: um terceiro em São Paulo, um no Rio e um em Recife."

Não custa pouco manter um Fab Lab. O custo médio inicial é de R$ 400 mil em maquinário e componentes e o custo anual chega a R$ 500 mil em treinamento de equipe e manutenção. Segundo Heloísa, o objetivo é que esse custo seja financiado por "worskshops e projetos pagos por entusiastas, empresas e escolas."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.