Projetos divulgam o melhor da moda brasileira

Projetos divulgam o melhor da moda brasileira

Estratégia para crescer no mercado externo é investir em produtos que valorizam a cultura local sem estereótipos

Helena Tarozzo, Especial para O Estado de S.Paulo

30 de outubro de 2014 | 02h11

Beleza natural, povo alegre, carnaval e futebol. Essa é a imagem do Brasil no cenário internacional. Mas, recentemente, novas iniciativas da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex), da Associação Brasileira de Estilistas (Abest) e da TexBrasil (Programa de Internacionalização da Moda Brasileira) tentam transformar essas qualidades em algo ainda mais sedutor aos olhos do consumidor moderno e global.

Por meio dos projetos Brazil Beyond e Bloom Brazil, essas associações investem na divulgação de marcas como Patrícia Bonaldi, Adriana Degreas e Isolda no mercado, direcionadas respectivamente ao mercado de moda festa, praia e prêt-à-porter.

"A ideia do Brasil Beyond é fugir dos estereótipos da cadeia, que são de muitas estampas e uma moda não tão autoral. E passar a ideia de um luxo brasileiro, que valoriza elementos culturais como bordados e rendas trabalhados de forma contemporânea", afirma Lilian Kaddissi, gerente executiva da TexBrasil.

Em setembro, a mineira Patrícia Bonaldi estreou em Paris expondo seus vestidos de noite inteiros bordados para os compradores e a imprensa especializada no Hotel Bristol. No evento, além de realizar um sonho pessoal, expôs 40 modelos. "Entre os meus principais clientes estão multimarcas de Dubai, de Londres e da Espanha", diz Patricia. Suas criações custam de R$ 3 mil a R$ 12 mil.

Feiras. Já a marca de moda praia de Adriana Degreas dá passos no cenário internacional desde o ano passado, quando fez um primeiro desfile em Paris e depois seguiu para as principais feiras do ramo na Europa e nos Estados Unidos. Um ano depois, Adriana concentra suas vendas em multimarcas espalhadas pelos dois continentes.

Um dos pontos altos da internacionalização da estilista foi sua última campanha, fotografada em Hamptons, balneário americano de luxo, com direção artística de Cecilia Dean, diretora criativa da revista de vanguarda Visionaire. "Tento não cair no óbvio ou no caricato, mas também não quero fugir da identidade brasileira."

Outra grife que cada vez mais se destaca é a Isolda, criada pelas irmãs Alessandra e Juliana Affonso Ferreira com a sócia Maya Pope. O trio desenvolve coleções alegres, casuais e confortáveis. "Fazemos roupas com alma brasileira", diz Alessandra.

Tudo o que sabemos sobre:
negócios da modafóruns estadão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.