Promoção de passagem aérea não influenciará inflação de março

A gerente do Sistema de Índices de Preços do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Eulina Nunes dos Santos, disse que as reduções anunciadas em alguns preços de passagens aéreas não deverão ter forte impacto sobre o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).Segundo ela, o IBGE capta uma média de preços das passagens de todas as empresas e, como muitas das promoções se resumem a alguns dias e alguns vôos, o efeito de queda sobre o Índice não deverá ser acentuado.Hoje o IBGE divulgou o IPCA referente ao mês de fevereiro. O Índice registrou alta de 0,59%, praticamente igual à de janeiro, de 0,58%. O item curso, vinculado ao grupo educação, apresentou a maior contribuição para a inflação do mês (0,25 ponto porcentual). O IBGE capta toda a influência dos reajustes das mensalidades escolares em fevereiro.Índice será pressionado por ônibus urbano e taxa de águaEulina destaca ainda que as pressões de alta já conhecidas para o IPCA de março - como ônibus urbano em São Paulo e taxa de água e esgoto em Porto Alegre, Belo Horizonte, Brasília e Goiânia - estarão concentradas no próprio mês e não deverão apresentar resquícios significativos nas coletas seguintes de preços. Ela destacou uma queda quase generalizada de preços no IPCA de fevereiro. "Nos últimos índices não observamos isso", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.