Promotoria russa ?descongela? parte das ações confiscadas

O Escritório da Promotoria Geral da Rússia suspendeu o congelamento de algumas ações da petrolífera Yukos, confiscadas ontem, informou a agência russa Interfax, citando um porta-voz da promotoria. "Após avaliação de material adicional, ficou determinado que 4,5% das ações confiscadas pertencem a acionistas que não têm relação com as acusações criminais atualmente investigadas", disse o porta-voz. No entanto, as ações que pertencem a Mikhail Khodorkovsky, a Platon Lebedev e Vasily Shakhovsky continuam congeladas. O porta-voz disse ainda que o decreto que congela as ações foi enviado ao banco depositário das ações. A decisão de "descongelar" parte das ações atende a demanda do Group Menatep Ltd., um veículo offshore que detém as ações da Yukos que ultimamente pertenciam a Khodorkovsky e seus colegas. Ontem, um porta-voz do grupo disse que o congelamento prejudicava acionistas que não estavam sob investigação criminal. Segundo a promotoria, agora o total de ações congeladas é de 42%. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.