Proposta de Michael Dell é alvo de críticas

Fundador da Dell tenta fechar capital da empresa em operação de US$ 24 bilhões; para minoritários, valor está abaixo da avaliação da companhia

ASSOCIATED PRESS, O Estado de S.Paulo

11 de maio de 2013 | 02h09

O maior acionista da Dell se uniu ao investidor Carl Icahn para contestar a proposta de aquisição feita pelo fundador da empresa, Michael Dell, por US$ 24,4 bilhões, para comprar a fabricante de computadores que passa por dificuldades financeiras.

Em carta enviada no dia 9 de maio ao conselho de administração da Dell, o fundo Southeastern Asset Management e Carl Icahn pleitearam que os acionistas da Dell tenham permissão para ficar com suas ações e vendê-las, ou por US$ 12 a ação em dinheiro, ou receber ações adicionais, num negócio que deveria manter a empresa com capital aberto. Segundo eles, essa opção proporcionará aos acionistas uma participação nos ganhos futuros da empresa.

Um grupo de investimento comandado por Michael Dell ofereceu, no início do ano, o pagamento de US$ 13,65 por ação pela aquisição do controle da Dell, que se tornaria assim uma empresa de capital fechado. O fundo Southeastern e Carl Icahn criticaram a proposta em carta ao conselho da Dell, delineando sua última proposta.

A carta acusa o conselho da Dell de insultar a inteligência dos acionistas quando afirma que o conselho age visando o melhor interesse dos acionistas e depois aceita a oferta feita por Michael Dell de compra da companhia que ele fundou por US$ 13,65 por ação, "valor bem inferior ao que consideramos que a empresa vale".

"O conselho não só sancionou a oferta de Michael Dell, que espantosamente permite a ele comprar a empresa dos acionistas com o dinheiro deles, mas, ainda mais grave, concordou em aplicar ao sr. Dell uma multa por quebra de contrato de US$ 450 milhões", diz a carta.

O Southeastern e Icahn disseram que são donos de cerca de 13% de todas as ações da empresa. Eles afirmaram que, se o conselho desconsiderar a sua oferta superior, ambos vão trabalhar "assiduamente" para convencer outros acionistas a rejeitar a oferta de Michael Dell, feita por ele e pela empresa de investimentos Silver Lake.

O grupo também ameaça fazer a indicação de uma dúzia de diretores durante a próxima assembleia anual da empresa para desafiar os atuais membros do conselho da Dell.

"Esta empresa já sofreu por muito tempo com as decisões erradas feitas pelo conselho e sua administração", diz a carta. "Não tomem mais uma (decisão errada) ao colocar a companhia em uma batalha debilitante e desnecessária entre acionistas. Permitam que os acionistas decidam por si qual oferta eles querem escolher", escreveram Icahn e o Southeastern.

Se a empresa falhar em dar uma opção de escolha aos acionistas, ela vai "enfrentar a responsabilidade judicialmente", ameaça a carta em letras maiúsculas.

O porta-voz da Dell, David Frink, disse que uma comissão especial da diretoria da empresa está analisando a carta enviada por Icahn e a Southeastern.

Carl Icahn também havia feito uma oferta preliminar para aquisição de uma participação de 58% da Dell, pagando US$ 15 por ação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.