Proposta pela Dow Jones ainda divide família

Um dos ramos da família Bancroft, que controla o grupo, pressiona por um aumento da oferta de US$ 5 bi

Reuters, O Estadao de S.Paulo

07 de julho de 2028 | 00h00

Um ramo da família Bancroft já decidiu que votará contra a oferta de US$ 5 bilhões da News Corp. pela Dow Jones, colocando pressão para Rupert Murdoch, o dono da News Corp., aumentar sua oferta, segundo informações publicadas no site do Wall Street Journal. O jornal também noticiou que o ramo de Denver da família, que detém 9,1% das ações votantes da Dow Jones e apóia o acordo com a News Corp., quer que Murdoch aumente sua oferta de U$ 60 por ação.Essa parte da família argumenta que os acionistas detentores de ações com direitos votantes especiais Classe B, como é o caso da família Bancroft, devem receber um prêmio de 10% a 20%. Mas, ainda segundo o jornal, a News Corp não tem intenção de elevar sua proposta.Um funcionário da Holme Roberts & Owen LLP, que segundo informações administra as ações do ramo de Denver da família, não quis comentar a notícia. Representantes da News Corp. e da Dow Jones não puderam ser consultados. A notícia surge depois que membros da família Bancroft se reuniram em Boston, na segunda-feira, para avaliar a oferta de Murdoch. A Dow Jones é dona do Wall Street Journal, do jornal para investidores Barron?s, do site de notícias financeiras MarketWatch.com e da agência de notícias Dow Jones Newswires.Alguns membros da família se opõem à venda por temerem a interferência de Murdoch nas operações noticiosas da Dow Jones para defender seus interesses comerciais. Michael Elefante, membro do conselho da Dow Jones e principal gestor das ações da família Bancroft, está consultando membros da família sobre sua adesão ou não à compra. Espera-se que ele tenha os resultados até o meio da próxima semana, segundo uma fonte familiarizada com o assunto.Ontem, o empresário de internet Brad Greenspan disse que ainda mantém conversações com os Bancroft sobre uma proposta concorrente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.