Proprietário deve analisar crédito de locatário

Para quem quer investir em imóveis, o aluguel é uma importante fonte de rentabilidade. Porém, é preciso que o proprietário tome uma série de cuidados para que o negócio não se transforme em transtorno e até prejuízo. Para evitar a inadimplência do inquilino, o investidor precisa avaliar com cuidado toda a documentação do locatário e do fiador, além de realizar uma análise de crédito adequada. Uma das normas básicas do mercado exige que o aluguel não comprometa mais do que 30% do salário do locatário. Documentos necessários O proprietário ou seu representante legal deve pedir ao locatário e ao fiador as certidões pessoais de ambos. Os documentos necessários são: certidão dos distribuidores de protesto, certidão dos distribuidores cíveis, certidão dos distribuidores da Justiça Federal e certidão dos distribuidores de executivos fiscais. No caso de haver alguma ação contra o locatário, por exemplo, é preciso pedir uma certidão explicativa para conhecer o teor do problema e verificar se o interessado tem ou não problema de crédito. Em relação ao fiador, é preciso pedir a matrícula atualizada do imóvel de sua propriedade que, além de ser uma garantia, comprova se há dívidas que comprometam a efetivação da fiança. Os riscos com inadimplência diminuem se a locação tiver um bom fiador, com nível de renda razoável. Garantias O proprietário pode pedir apenas uma garantia para o inquilino. Das três disponíveis, a mais usada ainda é o fiador. Porém, o locador pode pedir uma caução, ou seja, depósito de bens ou dinheiro em caderneta de poupança conjunta entre o proprietário e o inquilino, cujo valor máximo é o equivalente a três meses de aluguel. Outra opção é o seguro fiança, que pode ser comprado junto aos bancos ou seguradoras, que exige do locatário uma ficha cadastral sem pendências de ordem financeira. Confira nos links abaixo mais informações sobre os cuidados que o proprietário deve ter ao alugar um imóvel.

Agencia Estado,

03 Dezembro 2001 | 20h47

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.