Prostitutas podem ter aposentadoria

As prostitutas também poderão vir a fazer parte da Previdência Social e terão o direito de ganhar benefícios, como aposentadoria e pensão. A primeira investida da Previdência nesse sentido foi anunciada pelo ministro Waldeck Ornelas. Cerca de cem prostitutas participaram da palestra promovida na segunda-feira pelo Comitê Regional do Programa de Estabilidade Social. O programa foi lançado no início do ano pelo ministro e tem por objetivo atrair para a os 38 milhões de pessoas que estão fora do sistema e não contribuem para o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Segundo informações do Ministério da Previdência e Assistência Social, as mulheres revelaram desconhecer que tinham o direito de inscrever-se como contribuinte individual para ter direito a todos os benefícios previdenciários, como salário-maternidade, auxílio-doença e aposentadoria. Ainda de acordo com o ministério, elas podem inscrever-se como autônomas e pagarem a contribuição, sem revelar a sua fonte de renda.A inscrição no INSS pode ser feita nas Agências da Previdência Social, pela Internet (veja o link abaixo) ou pelo telefone 0800-78-0191. A prostituta deve ter em mãos um dos seguintes documentos: carteira de identidade, carteira de trabalho, certidão de nascimento ou de casamento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.