Protecionismo ameaça renda nacional dos EUA

A renda nacional dos Estados Unidos poderá cair entre US$ 500 milhões e US$ 1,4 bilhão por ano se o presidente do país, George W. Bush, seguir as recomendações da International Trade Commission (ITC) e aumentar as tarifas americanas para importação de aço, alerta estudo encomendado e divulgado pela Consuming Industries Trade Action Coalition (Citac). As cifras têm por base dois cenários de aumento da tarifa média de importação de aço, um para 9,2% e outro para 20,7%.O estudo - que é uma arma de pressão para que Bush decida por, no mínimo, suavizar as medidas de restrição às importações de aço que lhe foram recomendadas pela Comissão de Comércio Internancional dos Estados Unidos - lembra que nesse momento de recessão, o governo procura aumentar o crescimento da economia americana, e não o contrário. O trabalho lembra que as indústrias consumidoras de aço iriam ser prejudicadas por terem que pagar mais pelo aço e aumentariam os preços de seus produtos, enfrentando maior competição de indústrias estrangeiras de manufaturados que se beneficiariam do acesso ao aço com preços mais baixos. Como resultado, as importações americanas de produtos acabados que usam o aço, como motores elétricos, materiais de construção e automóveis, entre outros, iriam aumentar. O estudo foi realizado por Joseph Francois, diretor-gerente de parcerias comerciais mundias da empresa LLC, especializada em pesquisa sobre efeitos econômicos de políticas comerciais, e pela presidente de parcerias internacionais da LLC, Laura Baughman.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.