Protecionismo argentino pode ser intensificado

Presidente Cristina Kirchner desembarca amanhã em Montevidéu para participar da Cúpula do Mercosul

MONTEVIDÉU, O Estado de S.Paulo

19 de dezembro de 2011 | 03h06

A presidente argentina Cristina Kirchner, que iniciou há pouco mais de uma semana seu segundo mandato, desembarcará amanhã em Montevidéu para a Cúpula do Mercosul praticamente com a mesma equipe na área comercial e econômica do primeiro governo. No entanto, embora o time seja - com raras exceções - o mesmo, a política protecionista que o governo argentino aplica desde a "Guerra das Geladeiras" de 2004 e intensificada a partir da crise mundial de 2009 - promete ser reforçada nesta nova fase.

Cristina estará acompanhada da nova secretária de comércio exterior, Beatriz Paglieri, ex-interventora do Instituto Nacional de Estatísticas e Censos (Indec), organismo acusado de manipular o índice de inflação e PIB há meia década.

Os analistas afirmam que Paglieri obedece as ordens de Guillermo Moreno, secretário de comércio interior e autor de uma série de ordens não-escritas que no ano passado e ao longo de 2011 bloquearam a entrada de produtos estrangeiros, principalmente os Made in Brazil.

A nova secretária, de acordo com decreto oficial, poderá formular "cursos de ação a seguir em matéria de negociações econômicas e comerciais tanto bilaterais como multilaterais". Dessa forma, segundo fontes diplomáticas, as principais funções da Secretaria de Comércio Internacional da chancelaria argentina seriam absorvidas por Paglieri. Sob a órbita de Moreno, Paglieri poderá também aplicar medidas antidumping./ A.P.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.