Protecionismo voltou sofisticado, diz diretor-geral da OMC

Azevêdo diz que prática dos governos acontece por meio de políticas para setores fragilizados, de difícil identificação

Laís Alegretti, da Agência Estado,

17 de julho de 2013 | 15h03

BRASÍLIA - O diretor-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), embaixador Roberto Azevêdo, afirmou há pouco que o protecionismo, atualmente, ocorre de maneira mais sofisticada.

"O protecionismo voltou de maneira sofisticada. Não é o tradicional, de tarifa mais alta, porque a OMC não permite mais isso", afirmou.

Segundo ele, as novas formas de protecionismo são mais difíceis de serem identificadas. Muitas vezes, estão no meio de políticas estatais a setores fragilizados, por exemplo. Ele colocou que os países que têm mais recursos para apoiar empresas, garantindo empregos, agem nessa direção.

Azevêdo discursou na manhã desta quarta-feira, 17, em reunião do chamado Conselhão, o Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES).

Tudo o que sabemos sobre:
OMCAzevêdoprotecionismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.