Protesto afeta produção em unidade da Petrobras no Equador

Moradores invadiram instalações da Petrobras na região amazônica do Equador e prejudicaram a produção de 32 mil barris por dia da unidade, informou uma autoridade do Ministério de Energia do país na quarta-feira, 7. O vice-ministro Jorge Alban disse que não estava claro o montante da produção afetado pela manifestação. Um porta-voz da Petrobras confirmou o protesto, mas não deu mais detalhes. "Houve algum tipo de interrupção, acho que não total, mas parcial", disse Alban. "Eles (os manifestantes) foram removidos do bloco 18, mas a tensão é alta na região." Manifestações são comuns na região amazônica do Equador, rica em petróleo, pois os pobres moradores da área pedem maior participação nas riquezas lá extraídas. Alban disse que os moradores invadiram as instalações para reivindicar que a Petrobras invista mais em suas comunidades. Não havia porta-voz da Petrobras disponível para comentar imediatamente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.