Reuters
Reuters

Protesto contra Banco Central Europeu na Alemanha tem 350 presos; veja imagens

Manifestantes protestaram durante a inauguração da nova sede da instituição em Frankfurt

O Estado de S. Paulo

18 de março de 2015 | 12h25

Pelo menos quatro viaturas policiais foram incendiadas e dois oficiais ficaram feridos hoje em Frankfurt durante um confronto com manifestantes que participavam de um ato antiausteridade, antes da cerimônia de inauguração da nova sede do Banco Central Europeu (BCE) na cidade alemã.

A cerimônia seguiu em frente, como previsto, com o presidente do BCE, Mario Draghi, classificando o novo prédio da autoridade monetária da zona do euro como "um símbolo do que a Europa pode realizar unida".

Segundo a polícia, 350 pessoas foram detidas em meio a uma operação para identificar uma minoria de ativistas mais violentos. A maioria dos manifestantes, porém, se comportou de forma pacífica, marchando em grupos e cantando, na preparação de um comício previsto para acontecer na principal praça de Frankfurt.

Alguns dos participantes bloquearam pontes e ruas numa tentativa de impedir o acesso de autoridades à cerimônia do BCE.

Os ativistas atribuíram o protesto à postura austera do BCE ao lidar com países financeiramente problemáticos da zona do euro, como a Grécia.

Os manifestantes, aos quais se juntaram representantes de partidos esquerdistas, como o grego Syriza, o espanhol Podemos e o alemão Die Linke, alegam que o BCE é parcialmente responsável por impor políticas que, segundo eles, estão levando ao empobrecimento de áreas da Europa. (Com informações da Associated Press e da Dow Jones Newswires).

Tudo o que sabemos sobre:
euroAlemanhaBCE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.