Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Protesto de produtores rurais chega amanhã ao Pontal

Iniciado há duas semanas no Estado do Mato Grosso, o protesto dos produtores rurais contra a crise na agricultura, conhecido como Grito do Ipiranga, chega hoje ao Estado de São Paulo. Sindicatos rurais da região do Médio Vale do Paranapanema, no sudoeste paulista, mobilizaram cerca de 800 produtores para bloquear o acesso dos principais entrepostos de produtos agrícolas das regiões de Ourinhos e Assis. As manifestações ocorriam simultaneamente em 23 municípios da região, maior produtora de grãos do Estado. Amanhã, o movimento chega ao Pontal do Paranapanema, extremo oeste do Estado, onde os agricultores farão o enterro simbólico do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.O "enterro" de Lula será encenado às 10 horas, no km 554 da Rodovia Raposo Tavares, próximo de Presidente Prudente. Produtores rurais estarão vestidos de preto e com cordas amarradas no pescoço durante o "velório". Um boneco representando o presidente será colocado num caixão de defunto e transportado até um "crematório".Convocados por sindicatos e entidades ruralistas, os agricultores vão se deslocar para o local em máquinas e tratores. De acordo com Luiz Antonio Nabhan Garcia, presidente da União Democrática Ruralista (UDR), não está previsto o fechamento da estrada.Condições dos agricultoresAmanhã, a região norte adere ao protesto, com uma passeata em Ituverava e uma concentração de máquinas nas margens do km 410 da Rodovia Anhanguera. De acordo com o presidente do Sindicato Rural de Cândido Mota, João Motta, os produtores optaram por bloquear os silos ao invés de fechar estradas para impedir o escoamento da produção. "O resultado prático é o mesmo: não sai produto nenhum para o porto ou para o mercado."Os depósitos estão carregados de grãos de soja e milho, colhidos na última safra de verão. Alguns produtores que ainda estão colhendo podem usar os silos para descarga e secagem do produto. "Só não permitimos a saída", disse Motta.PedidosOs produtores querem o alongamento das dívidas por um prazo de até 25 anos e um seguro de produção e renda. Segundo ele, o agricultor não é contra o produto barato no supermercado, mas precisa de renda para não quebrar. "O governo não pode subsidiar o agricultor, mas nós estamos subsidiando o consumidor."AlagoasProdutores rurais de Alagoas bloquearam hoje pela manhã a ponte que fica na BR-101, em Porto Real do Colégio, na divisa com o Estado de Sergipe, a 168 quilômetros ao Sul de Maceió. O trânsito na rodovia federal está interditado e no final da manhã uma fila de carros já passava dos três quilômetros, no trecho entre os dois sentidos. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), os agricultores usaram caminhões, tratores e outras máquinas agrícolas para o bloqueio.Eles reivindicam que o governo federal volte a discutir a negociação das dívidas deles com os bancos estatais. Os manifestantes estão permitindo apenas a passagem de ambulâncias e de veículos que estejam prestando socorro. Caminhões e ônibus estão parados no acostamento. O bloqueio começou de madrugada e não tem hora para acabar, segundo os manifestantes.

Agencia Estado,

09 de maio de 2006 | 16h04

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.