Protesto na Colômbia tem bombas de gás e tinta colorida

Milhares de trabalhadores e estudantes foram às ruas em apoio à greve dos agricultores que reclamam das importações do Mercosul

AP,

29 de agosto de 2013 | 19h50

BOGOTÁ - Milhares de pessoas participaram de manifestações na capital colombiana em apoio à greve dos agricultores e para defender outras reivindicações salariais.

A polícia agiu com bombas de gás e efeito moral contra grupos mascarados que revidaram com pedras e pacotes com tintas coloridas.

Após muita confusão, pelo menos quatro pessoas foram presas e 22 ficaram feridas.

Fernando José Cárdenas, presidente da Cruz Vermelha da Colômbia, disse que pelo menos dez pessoas sofreram contusões na confusão no centro de Bogotá.

Foi a mais grave onda de manifestações desde 2012, quando os colombianos saíram às ruas para protestar contra o sistema de transporte público.

O presidente Juan Manuel Santos disse que o país atravessa uma tormenta por causa da greve dos agricultores iniciada no dia 19. Ele apelou para que os manifestantes evitem a violência.

A polícia informou que foram realizadas 29 marchas de protesto com mais de 45 mil pessoas no país, mas os representantes dos manifestantes calcularam a participação em mais de 100 mil pessoas somente em Bogotá.

Os agricultores reclamam contra a crescente importação em decorrência dos tratados comerciais com o Mercosul.

Tudo o que sabemos sobre:
Colômbia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.