Protesto para unidade da Sadia em SP

Trabalhadores da unidade da Sadia em São Paulo, na Vila Anastácio (zona oeste), paralisaram as atividades ontem no início do expediente da manhã. O sindicato do setor de alimentos ficou durante cinco horas na porta da empresa na tentativa de negociar com a empresa a recontratação dos 350 funcionários demitidos. A polícia militar acompanhou a manifestação e chegou a trocar alguns empurrões com os sindicalistas."A Sadia não tem motivo para demitir. Se a empresa não investiu direito o seu dinheiro não é o trabalhador que tem de pagar o pato", disse Carlos Vicente de Oliveira, o Carlão, presidente do sindicato. Segundo estimativa da entidade, cerca de 600 funcionários participaram do ato contra os cortes. A empresa diz que os manifestantes não passaram de 200.Segundo o sindicalista, caso a Sadia não volte atrás nas demissões até quarta-feira, a categoria vai se mobilizar para acampar dentro da empresa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.