Gustavo Porto/Estadão Conteúdo
Gustavo Porto/Estadão Conteúdo

Protesto por apoio ao setor sucroenergético fecha rodovias no interior de São Paulo

Em Sertãozinho, mais de 8 mil pessoas reivindicam políticas de incentivo ao açúcar e etanol; acesso a cidades importantes da região, como Ribeirão Preto, ficou fechado por cerca de três horas

RENE MOREIRA, Especial para O Estado de S. Paulo

27 de janeiro de 2015 | 16h08


RIBEIRÃO PRETO - Mais de 8 mil pessoas, pelas contas da Polícia Militar, participaram de um protesto na manhã desta terça-feira em Sertãozinho, cidade paulista que sofre com a crise no setor sucroenergético. Com cartazes e faixas, os manifestantes fecharam por mais de três horas as rodovias Armando de Sales Oliveira (SP-322) e Carlos Tonani (SP-333). 

Com a interdição o acesso a cidades importantes da região, como Ribeirão Preto (SP), ficou impedido e houve congestionamentos. Mas sem maiores problemas, sendo o ato acompanhado pelas Polícias Rodoviária e Militar, com o apoio de um helicóptero.

Em função do protesto, fábricas, comércio e outros setores resolveram não abrir as portas nas primeiras horas do dia e dispensar seus funcionários para participarem da manifestação. De acordo com os organizadores, 12 mil pessoas aderiram ao protesto que parou a cidade do interior paulista na manhã desta terça-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.