Reuters
Reuters

Protestos de caminhoneiros causam restrição de combustível de aviação em Brasília

Estados do entorno, como Goiás e Minas Gerais são uns dos mais afetados pelos protestos dos caminhoneiros

Eduardo Rodrigues, O Estado de S.Paulo

22 Maio 2018 | 15h59

BRASÍLIA - O protesto dos caminhoneiros contra os reajustes nos preços do diesel já afeta o abastecimento de combustível para aviação no Aeroporto de Brasília. A Inframerica, que administra o aeroporto, divulgou nota informando que o combustível para aeronaves está contingenciado porque a frota que traria a querosene de aviação (QAV) está retida em uma manifestação no entorno do Distrito Federal. Estados do entorno, como Goiás e Minas Gerais, são uns dos mais afetados pelos protestos dos caminhoneiros, que já tem mais de 100 trechos interditados em 20 estados, segundo monitoramento da Polícia Rodoviária Federal. 

+ Entenda a alta nos combustíveis e o protesto dos caminhoneiros

 

 

 

"A concessionária respeita o direito de manifestação democrática e pacífica. Contudo, o exercício de tal direito deve preservar a infraestrutura aeroportuária e não se sobrepor aos valores fundamentais, como o direito de ir e vir dos passageiros, bem como o inegociável direito à segurança das operações aeroportuárias", afirmou a Inframerica, em nota.

+ Alta de 56% no diesel em 10 meses leva a protestos e governo promete medidas

O Aeroporto de Brasília notificou hoje pela manhã as companhias aéreas sobre a restrição de combustível no local, orientando-as a abastecerem as aeronaves em outras cidades. De acordo com a Inframerica, todos os protocolos operacionais e de segurança estão sendo seguidos para evitar adversidades. Até as 15h40, a restrição de combustível tinha afetado três voos, sendo dois da Latam e um da Avianca.

+ Após cinco altas, Petrobrás anuncia redução do preço dos combustíveis para esta quarta

"A Inframerica lamenta o transtorno que a situação pode gerar aos passageiros. A administradora do terminal brasiliense aconselha aos passageiros buscarem as companhias aéreas para mais informações sobre os voos", completa a administradora do aeroporto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.