Protestos de ruralistas se fortalecem na Argentina

Os produtores rurais da Argentina aumentaram a aposta em defesa de suas reivindicações na disputa com o governo de Cristina Fernández de Kirchner e seu marido, o ex-presidente Néstor Kirchner. Os protestos que estavam previstos para até a próxima quinta-feira já não têm prazo para terminar. A cada dia, os produtores conseguem atrair mais governadores e prefeitos à causa rural, quebrando a hegemonia do casal Kirchner.As concentrações em favor do agronegócio se multiplicaram no fim de semana em todo o país e os "panelaços" também, inclusive em Buenos Aires. A classe média portenha saiu às ruas novamente para bater suas panelas.Assembléias e bloqueios de rodovias, somados aos panelaços, fortaleceram o movimento ruralista, que na Argentina não está representado no Congresso Nacional, como ocorre no Brasil. Sem deputados ou senadores que os representem, os líderes dos produtores estão na base do movimento, que aparece como a mais forte oposição enfrentada pelo governo nos últimos seis anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.