Províncias argentinas preparam proposta para renegociar dívida

Entusiasmados com o sucesso da operação de reestruturação da dívida realizada recentemente pelo governo do presidente Néstor Kirchner, os governadores das províncias argentinas também planejam realizar suas próprias trocas de títulos. Pelo menos cinco províncias estão preparando propostas de reestruturação, entre elas, a de Buenos Aires, Tucumán, Formosa, Chaco e San Juan. O conjunto das dívidas destas províncias alcança US$ 3,49 bilhões.As províncias pretendem realizar a troca de títulos o mais rápido possível, para "pegar carona" no recente sucesso da operação de "canje de deuda" (troca da dívida) realizada pela União. Os analistas afirmam que o contexto atual é ideal para as províncias.A província de Buenos Aires planeja reestruturar US$ 2,9 bilhões em títulos em estado de default. Especulações na city financeira portenha indicam que a redução que o governo provincial aplicaria aos títulos em estado de calote estaria ao redor de 70% do valor presente.O caso bonaerense atinge pequenos investidores, além de organismos financeiros da Espanha, França, Itália e Japão, que deram créditos à província antes da crise. Buenos Aires é a maior província da Argentina, responsável por um terço do PIB nacional.A empobrecida província do Chaco pretende reestruturar uma dívida de US$ 316 milhões. As também pobres Tucumán (dívida de US$ 55 bilhões) e Formosa (US$ 71 bilhões) estão na lista de províncias que planejam implementar reestruturações em breve. A província de San Juan reestruturaria US$ 80 milhões.Falidas, as províncias declararam o calote de suas dívidas no meio da crise econômica, financeira e social 2001-2002. Seguindo o exemplo da União (que declarou o calote em dezembro de 2001), as províncias anunciaram que não poderiam continuar pagando.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.